Prêmio Tacaruna Mulher realiza 21ª edição

25 de Fevereiro de 2021 14h09

O Shopping Tacaruna é um exemplo de empresa que reconhece e valoriza a força da mulher no mercado de trabalho. Prova disso é o tradicional Prêmio Tacaruna Mulher, iniciativa realizada há 21 anos ininterruptos, com o objetivo de destacar a atuação profissional de mulheres da sociedade pernambucana em nove categorias. Ao longo da sua história, a premiação contabiliza a marca de mais de 200 mulheres homenageadas. O público que frequenta o Tacaruna poderá conferir uma exposição com foto e biografia de cada mulher homenageada, de 1º a 08 de março (Dia Internacional da Mulher). Em todas as edições, o Prêmio Tacaruna Mulher realizou uma linda cerimônia para a entrega da premiação, com a presença de familiares e amigos convidados de cada homenageada. “Este ano, devido à necessidade de distanciamento social, por conta da pandemia, a solenidade não poderá acontecer. Mas isso não significa que o prêmio terá menos valor no coração de todas as mulheres vencedoras. Apesar do momento singular em que estamos vivendo não poderíamos deixar de realizar mais uma edição do prêmio, o que nos deixa muito felizes e orgulhosos”, declara a superintendente do Shopping Tacaruna, Sandra Arruda. “Cada homenageada é um verdadeiro exemplo de mulher vencedora, uma fonte de inspiração para as futuras gerações que desejarem seguir os passos de cada uma em suas respectivas áreas profissionais”, completa a gerente de marketing Yolanda Celeste. Cada personalidade feminina vencedora receberá o Troféu Feminilidade, criado pela artista plástica Margot Monteiro, que esteve entre as homenageadas do Prêmio Tacaruna Mulher, em 2004. O Prêmio Tacaruna Mulher 2021 presta homenagem a nove mulheres nas respectivas categorias profissionais: Mariana Vargas (Atividades Jurídicas), Maria Maciel (Educação), Sabrina Rocha (Comunicação), Mércia Carréra (Design, Arquitetura e Decoração), Cida Pedrosa (Cultura), Áurea Negromonte Arraes (Ação Social), Geisy Lima (Medicina e Saúde), Marcia Longman (Moda) e Juliana Coelho (Política, Economia e Negócios). A exposição do Prêmio Tacaruna Mulher 2021 ficará em cartaz no corredor do segundo pavimento do mall, próximo ao Delta Café. As fotos da exposição são assinadas pelo fotógrafo Renato Filho, com produção do visagista Laércio Az. Já a decoração da mostra leva a assinatura do decorador Léo Peixoto. A campanha publicitária da premiação será exibida em vários outdoors do Recife. Escolha das homenageadas - Os nomes femininos de destaque nas áreas premiadas são sugeridos através de uma comissão que indica as possíveis ganhadoras. Em seguida, é montada uma lista com os perfis das indicadas que é votada por uma comissão julgadora – composta por jornalistas, publicitários, juristas, médicos, empresários e outros profissionais das nove categorias representadas na premiação. São formadores de opinião e notáveis da nossa sociedade que têm a difícil tarefa de escolher nove nomes em uma lista composta por mais de 100. Homenagem Especial – Em 2021, o Prêmio Tacaruna Mulher, além de homenagear nove mulheres em suas respectivas categorias profissionais, reconhece e parabeniza todas as profissionais de saúde de Pernambuco. Mulheres guerreiras, que com competência, garra e profissionalismo, estão envolvidas na luta diária contra a pandemia da Covid-19. Através da premiação, o Shopping Tacaruna registra o agradecimento a elas. Prêmio Tacaruna Mulher 2021 – Homenageadas: Destaque Categoria Atividades Jurídicas – Mariana Vargas Juíza Titular da 13ª Vara Cível do Recife, Mariana Vargas é daquelas que rompe padrões e abre caminhos. Filha mais velha de pais ligados à matemática, foi a primeira da família a despontar na carreira jurídica. Foi também a primeira – única, até hoje - Juíza-Auxiliar da Presidência do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco. Em 2021, torna-se Desembargadora Eleitoral Titular Corte Eleitoral, cargo, que, pela primeira vez, é ocupado por uma juíza de carreira. A conquista é motivo de muita honra para ela e esperança para futuras gerações de mulheres juristas, que, certamente, terão mais facilidade em chegar a lugares de liderança após o exemplo. É o que ela deseja. Aos 47 anos, mãe de dois filhos e casada com o também desembargador Fábio Eugênio, a magistrada assume o papel com muita humildade e gratidão à trajetória das mulheres que a antecederam no meio. Destaque Categoria Educação – Maria Maciel A trajetória profissional de Maria Maciel se confunde com a história do Centro Educacional Lubienska, fundado em 1969, ano em que a educadora concluiu o Magistério e começou a lecionar no local. São 52 anos de dedicação exclusiva à instituição. Começou como professora na Educação Infantil. Formou-se em Pedagogia, fez especialização em Psicopedagogia e diversos outros cursos de aperfeiçoamento. Maria levanta a bandeira do respeito às diferenças. E fez da educação um meio para alcançar esse objetivo. A exemplo da educadora Helena Lubienska de Lenval, polonesa que inspirou o nome do colégio, aderiu à metodologia de inclusão para todos, preparando um ambiente em que o aluno pode aprender com liberdade, sendo esta inclusiva e significativa. Desde 1978 é sócia da escola, e, hoje, como mantenedora, continua investindo tempo no trabalho da construção do saber. Destaque Categoria Comunicação – Sabrina Rocha Natural de Belém do Pará, há 19 anos vivendo no Recife, a jornalista Sabrina Rocha tem na essência uma característica que diferencia o profissional do segmento: é curiosa sobre gente. A “Musa do Esporte Pernambucano” gosta de contar histórias sobre pessoas dentro e fora de campo. Sabrina observa a movimentação dos atletas e o comportamento humano nas arquibancadas; senta, conversa, pergunta e se aproxima para entender como o esporte transformou a vida dos personagens. E assim acaba transformando a vida dela também. De cada história, tira uma lição. Apresentadora do Prêmio Tacaruna Mulher, em quatro edições, viu e ouviu relatos de mulheres que se destacaram em suas carreiras, mas não pensava em estar naquele lugar. No ano em que, por conta da pandemia, não teremos a cerimônia de premiação, a jornalista muda de lado e recebe a honraria, que, para ela, tem um gostinho especial. Destaque Categoria Design, Arquitetura e Decoração – Mércia Carréra O amor da arquiteta Mércia Carréra, coordenadora do curso de arquitetura da Faculdade Damas, pela sua profissão é perceptível no tom de voz e brilho nos olhos. Para ela, a arquitetura é pensar melhor como usar o espaço para o homem ocupar. Formada há 40 anos pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Mestra em Arqueologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2005) e Doutora em Arqueologia pela Universidade do Porto (2011), ela defende a preservação do patrimônio e a abertura da arquitetura, se aliando a outras disciplinas, como história, geografia, arqueologia, ambientalismo, entre outras. Professora universitária desde 2009, há dez anos à frente da coordenação da graduação de Arquitetura e Urbanismo, ela se impressiona com a capacidade que ainda tem de se empolgar com o exercício das funções. Dentro da Faculdade Damas, criou cursos de pós-graduação, extensão. Um deles, FADAATI - Faculdade Damas Aberta a Terceira Idade, é motivo de orgulho. Destaque Categoria Cultura – Cida Pedrosa Cida Pedrosa nasceu em Bodocó, no Sertão de Pernambuco, em 1963, é advogada, escritora e política. Em 2020, foi eleita para o primeiro mandato como vereadora do Recife. Também foi a única mulher do estado a vencer o Prêmio Jabuti, o mais tradicional da literatura brasileira, em duas categorias, em 2020: Livro do Ano e Poesia, com a obra “Solo para Vialejo”. Formada em Direito pela Faculdade de Direito do Recife e especialista em Ciência Política (Unicap), fez da profissão um instrumento de luta. Viveu por essas duas vertentes: a escrita e a defesa dos menos favorecidos. Advogou só em causas que acreditava e encontrou espaço para isso em diversos locais. Foi gestora e militante de projetos ligados, principalmente, ao Meio Ambiente, trabalhadores rurais e direito das mulheres. Assumiu a Secretaria de Meio Ambiente (2013-2016) e a Secretaria da Mulher (2017-2020) do Recife, onde criou a Brigada Maria da Penha e outros programas de empoderamento de mulheres. Destaque Categoria Ação Social – Áurea Negromonte Arraes Existe uma Aurea Negromonte Arraes antes do contato com as mães de bebês com microcefalia (Síndrome do Zika Vírus) e outra depois disso. A profissional de Relações Públicas teve a vida transformada pelo trabalho voluntário de apoio a essas mulheres. Aurea se viu tocada pelas histórias das mães que tiveram filhos afetados pela síndrome, com diversas dificuldades e déficit de desenvolvimento. E percebeu que precisava fazer algo para devolver independência financeira, alegria e conforto para essas famílias. Começou a ajudar as mulheres como voluntária no Grupo AMAR, reunindo-as num coletivo, chamado “Mães produtivas”, e ensinando-as, junto com uma colega, a produzirem doces, salgados, bijuterias e crochê. Era uma forma de gerar renda e resgatar a autoestima delas. Foi quando fundou a ONG Mães por Todas, para dedicar-se exclusivamente ao suporte dessas cuidadoras e incentivá-las a serem também apoio umas das outras. Destaque Categoria Medicina e Saúde – Geisy Lima Crianças são a grande paixão da vida de Geisy Lima, pediatra, formada há 41 anos pela Universidade de Pernambuco (UPE), que está à frente da Unidade Neonatal e Unidade Canguru do IMIP, há mais de 20 anos. Mãe de dois filhos, ao longo da jornada profissional, se deparou com a deficiência no atendimento às mães de bebês prematuros, que eram afastadas dos recém-nascidos durante o período de incubação. Inaugurou a maternidade do IMIP, em 1987, revertendo essa situação: criou uma área destinada às mulheres, que recebiam alta, mas podiam permanecer no hospital, com apoio dos pais, acompanhando o desenvolvimento dos bebês de perto, em tempo integral. Em 1994, i